domingo, 11 de maio de 2008



OS OLHOS DE MEU PAI E OS OLHOS DE MINHA MÃE
Oswaldo Antônio Begiato

Meu pai
Tinha um par de olhos azuis
Cheios de contentamentos.
Quando minha mãe se entristecia
Meu pai emprestava os olhos a ela.

Minha mãe
Tinha um par de olhos azuis
Cheios de delicadezas.
Quando meu pai se embrutecia
Minha mãe emprestava os olhos a ele.

Os olhos de meu pai
E os olhos de minha mãe
Ouviam mais que seus ouvidos,
Sentiam mais que suas peles,
Cheiravam mais que seus narizes,
Falavam mais que suas bocas.

Os olhos de meu pai
E os olhos de minha mãe
Viam com tanta santidade
Que o mundo ao meu redor
Era um carrossel de sentidos.

Deles herdei os olhos;
Só não herdei a sabedoria de domá-los.

Por isso sou triste e rude.

4 comentários:

ana wagner disse...

Teus pais devem ter ficado felizes com essa linda mensagem de um filho querido! Agora é tua vez de ficar feliz...

Beijo poeta!

brida disse...

Nossa poeta....me comoveste sabe!!! com que maestria e poesia falas destes seres tão amados...com certeza eles estão muito orgulhosos de ter dado...ao mundo uma pessoa~tão doce qt vc....beijos poeticos em sua linda alma...Bri...

Anônimo disse...

Maravillosamente dulce y sentido. Padres afortunados de ser así reconocidos. Afortunado hijo que
salió poeta.

Hilde disse...

Sr. Begiato