segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

NASCIMENTO


NASCIMENTO
Oswaldo Antônio Begiato

Recobertas com pedras assimétricas
as ruas parecem guardar com precisão
a alma generosa das gentes
e a alma enigmática da cidade
onde a vida se transforma minuciosa
e as vertentes se põem à mostra
nos rejuntes graves das rochas,
guiando os passos incontáveis
a alisar as superfícies de um caminho
forjado a tempo e passagens.
Eles nunca são os mesmos,
mas deixam rastros invisíveis
nas entranhas do solo pétreo
e no polimento de suas faces.

Uma cidade é um canto
dentro de sua gente
e sua gente é vento
que carrega o canto
pelo mundo todo,
em alto e bom som,
ainda que pese a dissonância
de quem a quer demolida
e reconstruída em três dias.

Uma cidade é um canto do mundo
e o mundo de sua gente.

Um dia o asfalto vai cobrir,
contra vossa vontade,
as pedras indefesas de vossa memória,
e dentro delas manterá lacrada
a história de toda gente,
no instante em que a cidade,
embrulhada para presente,
se entristecerá de esquecimentos
e as almas se perderão no limbo da ignorância.

5 comentários:

Isa disse...

Bom Dia, meu Poeta e Amigo!
Tenho estado ausente,mas acompanhando e sofrendo com o que se passa no "nosso" Brasil.
Sofrendo muito,acredite.
Hoje vejo o seu poema e ñ é que me ajudou...
Porquê? Porque personaliza a Cidade que,como humana que é tem dias e Dias...
Ela encerra o pulsar das gentes e é, por fim,a mater dolorosa!
Beijo.
isa.

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Que belo poema amigo querido!
"Uma cidade é um canto do mundo
e o mundo de sua gente." Quão profundos são os versos!
Um abraço frateno!
Neneca

A wild blumen disse...

E veio ''embrulhado pra presente''!!!!!!!! Gente!

M@ria disse...

A lágrima com o brilho do cristal,
banha o teu rosto, a tua história;
a maior força do bem sobre o mal,
traça as honras da tua vitória...

Oswaldo Genofre

Amor & Paz no seu dia...M@ria

Hellen disse...

Meu Deus...
Lindo!
Você falando de cidade, história, memória da gente, acaba fazendo com que me recorde dessa enorme trajédia do Brasil.
É amigo-poeta, só uma alma tão grande pra traduzir de uma maneira (talvez até sem quer) tão forte, o que passam as pessoas que sofrem nesse Brasil, inundado.

Vai tudo que é físico, pode até não passar a ignorância (principalmente dos governantes, por não quererem saber o que melhor para o povo, mas fica sempre fica a lembrança....

Sempre lembro do seu blog, porque lembro suas doces palavras poeta.

Espero que esteja bem e que neste ano ainda mais continue produzindo tanta beleza e cor pro mundo.

Presente pra você:
"Aonde quer que eu vá,
eu descubro que um poeta
esteve lá antes de mim."
(Sigmund Freud)