sexta-feira, 3 de setembro de 2010

AS PERNAS


AS PERNAS
Oswaldo Antônio Begiato

As pernas
outrora finas e esbeltas
eram tão levianas.

As pernas
agora gordas e inchadas
ficaram pesadas.

As pernas
outrora levianas e finas
deixavam rastros profundos,
agora pesadas e gordas
deixam só rastros discretos.

A vida é assim mesmo.

6 comentários:

POESIA CÁ E LÁ disse...

Passeando por aqui. Deixando meus votos de bom fim de semana.

POETA

Poeta é bicho carpinteiro,
com borboletas no estômago
e pirilampos no olhar.

Clau Assi

Isa disse...

Quase cruel!
Mas é a Vida! O caminhar que nos atinge a todos.
O percurso inevitável!
Senti uma certa amargura nas palavras do meu querido Poeta e Amigo!
Ou será no meu comentário??????
Beijo.
isa.

Fada do Mar Suave disse...

PASSARINHO


Eu sou livrinho.
Não um livro
pequeno,
mas um pequenino
menino:
- Livre.

Oswaldo Antônio Begiato

Um passeio mágico para colher a beleza de seu canto.
Com muito carinho da Fada do Mar Suave.

Maithê disse...

Queridíssimo.Saudades de voce.
Tenha um belo fim de semana.

Beijocas

Verluci Almeida disse...

Belíssimo Oswaldo!
Levando AS PERNAS e a foto.
Farei uma montagem para postar
em sua Entrevista na Revista de Poesias.
SUCESSO sempre Poeta! :)

Carmen Regina Dias disse...

É, poeta, é por aí, pero soy contra
poesia nada contra a maré,
e tudo que vê, inventa,
e tudo que inventa, vê.
Suprema honra te ler.