domingo, 22 de agosto de 2010

SACIAMENTO E PAZ


SACIAMENTO E PAZ
Oswaldo Antônio Begiato

Vulcão ativo que és, com teu inesgotável amor
Explodindo no cume das nossas existências,
Ejaculas larvas de dentro de tua medula;
Larvas que o fogo das lavas não matou.

Elas lavram o campo de nossas esperanças;
Transmutam-se em borboletas coesas,
Lavam nossos ventres impuros e estéreis
E, sem dor, nos engravidam de trigo e trégua.

4 comentários:

Isa disse...

E quando tudo se aquieta ficam apenas sentimentos de plenitude!
Lindo o seu Poema, meu Amigo Poeta!
Linda a imagem e sugestiva,
acompanhando o que brotou do seu coração.
Semana feliz!
Beijo.
isa.

Flor ♥ disse...

Precisamos muito... de trigo e trégua...

lindos versos.

Bjs.

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Como necessitamos dessa paz interior para que ela seja refletida no exterior.
Gosto da simbologia do trigo.
Beijos! Neneca.

Caminhos Poéticos disse...

"Nossa atitude diante da vida não depende necessariamente do que se passa em volta de nós, e sim do que se passa dentro de nós."

(Bernabé Tierno)

Boa Noite.....Beijos meus!! M@ria