quinta-feira, 27 de agosto de 2009

LUA MIÚDA


LUA MIÚDA
Oswaldo Antônio Begiato

Mais do que
qualquer coisa,
nesta minha vida
de hospedeiro,
queria te amar
ardentemente
com minhas portas
escancaradas
e minhas janelas
descortinadas.

Mas tu és estrela
e eu lua miúda.

8 comentários:

Serena Flor disse...

Poeminha curto e belo!
Um grande beijo poeta.
Cada vez mais gosto de vir aqui pra ler seus belos poemas...bjs.

Milene Sarquissiano disse...

Me deixa ser teu céu?
Para que imensa
Eu te pertença
E tu me habites
Infinitamente...

Chega a ser redundante, mas...lindo!!Como tudo que vem de ti.

Beijos "estrelados",rs

Milene

Aninha disse...

Poema meigo e romântico, esse Wado.
Lindinho como um diamante!
Um beijo, meu poeta!
Aninha

saberfi disse...

Tudo, como sempre, muito profundo e delicado.
Beijo, poeta!!

Vanessa Marques disse...

Parabéns pelo blog!

Encontrei este endereço no site "Literatura Nova Era"...gostei muito.

Abraço
Vanessa

maisriana disse...

Quando eu nasci, uma amiga de minha mãe dizia que eu deveria me chamar Sara porque eu tinha sorriso de lua nova. Vai entender né! hahaha Enfim, era uma lua miúda, como essa de seu lindo poema.

Adorei! Acho que todo mundo tem dias de lua miúda.

beijo.

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Lindo! Nas entrelinhas encontramos a essência. Beijos poeta amigo!
Sou sua fã.

Elza Fraga disse...

Oi, Oswaldo
Brigadim pela visita ao meu blog
[e comentário].
Não vim antes porque o Vélox me derrubou e me deixou a ver navios a tarde inteira, rsrs.
Amei seu blog e comentei, e volto com certeza!

Bitokitas