quarta-feira, 13 de agosto de 2008

POSSEIROS

POSSEIROS
Oswaldo Antônio Begiato

O tempo está sempre
contra nossa vontade.
Quando estamos felizes
ele corre demais;
quando infelizes
ele se lerdeia todo.

Façamos assim então:
- Eu te deixo morar eternamente
na suíte real de meu coração,
e tu, generosa, me concedes
o porão do teu,
onde prometo morar
o resto de minha vida.

Não teremos o tempo
a nos vigiar
e tudo será céu.

2 comentários:

bridakaloo disse...

Ah..poetinha querido..poetinha da alma...que singeleza usas pra falar das coisas que nos fazem bem a alma...linda..linda essa forma de poetar..vai no amago...saibas que n te concederei o porão de meu coração....te concederei meu coração..onde morarás ad eternum...brigadinha pelo teu "existir" na existencia....beijos embrullhados em ternura maior...

Lilian disse...

Lindo esse poema!!!
Vim, vi e gostei.
Gostei tanto q voltarei
só pra te ver sorrindo, só pra te ver cantando...
pois além dos cacos juntados das suas mágoas eu vejo
nas suas palavras
toda a beleza q vc vê na vida tb.
Vida sentida, vida vivida até
o último gole... intensamente.
Feliz Aniversário poeta!
bjs