segunda-feira, 11 de junho de 2012

EFEMERIDADE


EFEMERIDADE
Oswaldo Antônio Begiato
escravo
escrevo
poesias

escrevo
poesias
procriando palavras

elas alçam vôo
ao timbre da voz
ao frescor da tinta
à coragem da anunciação
e deixam só o nó dos liames

poesias são crias que se perdem no arroubo da libertação

2 comentários:

isa disse...

Quanta beleza em tão poucos versos, meu Amigo, meu Poeta!
Beijo.
isa.

Gilber†o Ângelo Begia†o disse...

mano eu as leio se possível em voz alta para alçar vôo e as divulgo para criar asas e fazer outros sonharem. Linda poesia meu poeta predileto!

Eu ando postando suas poesias espero que não ache ruim!