sexta-feira, 15 de julho de 2011

TOALHA DE MESA


TOALHA DE MESA
Oswaldo Antônio Begiato

No armarinho do Toninho Rosa,
além de aviamentos se vende de tudo;
lá comprei uma toalha nova.
Toda quadradinha, cheia de flores.
Bonita. Feita de matéria plástica. Prática.
Tão fácil de deixá-la limpa. Basta um pano com sabão.
Quando está limpa
a deusa do perdão se debruça sobre ela
e minha mesa pode receber o pão e o vinho.

Gostaria que minha alma fosse assim.

4 comentários:

isa disse...

Mas é de plástico,meu Poeta!
É linda,mas fria.
É harmoniosa,no desenho,mas sem vida.
É feita em série...
E a Vida? E a tua Alma,Poeta Amigo?
Beijo.
isa.

A wild Garden disse...

Que coisa mais linda, conseguir ver o belo em algo tão prosaico como a toalha de mesa! Eu fico viajando nas que tem desenhos de paisagens e vacas, galinhas...

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Esse é o poeta! Que consegue versejar com as coisas simples, porque sensível é sua alma.
Parabéns meu querido amigo.
Obrigada pela presnça em meu blog.
Beijos, Neneca.

Maria Helena Mueller - Lelê disse...

Ah! Poeta...
Lindo poder transmitir toda sua sensibilidade e beleza através de algo tão simples.
Sempre é gratificante vir aqui em seu blog!
Abraços com carinho.