terça-feira, 21 de junho de 2011

TOLO


TOLO
Oswaldo Antônio Begiato

A hora que puderes vem te despedir de mim. Sem óculos escuros.
Não tragas rosas vermelhas. Traze margaridas brancas.
Ou não tragas flor alguma.
Canta a minha música preferida. Se possível duas, três...
Canta baixo para que só eu ouça. Ou não cantes nada.
Não dês ouvidos às coisas ruins que falarem de mim. Ouve somente as boas.
Ou não ouças nada.
As boas coisas guarde-as como alívio para ti, desse velho tolo que não soube amar.
Ou não quis, e que parte agora, feito um cusco de três pernas,
Sem descobrir o quanto tu foste capaz de amar um rabugento.

A hora que puderes vem me observar, imóvel. Frio. Findo.
Traze olhos cheios de ternura e mel na boca. Sem lágrimas. Sem amargor.
Recita versos do sul. Os mais bonitos que eu já ouvi. Quintana. Lupicínio.
Não, melhor recitares os teus.
Ou não recita nada.
Não notes meu estado esquelético e feio, mas veja a alma singela
Que escapou do corpo arruinado pela arrogância e pela boemia
De um velho tolo que nunca soube escrever um poema de amor. Um poema de amor pra ti.

A hora que puderes vem me ensinar a não ser tolo.
A não ser tolo na eternidade. Se é que eternidade existe, porque tu, agora, sei que existes.

8 comentários:

Vendramini disse...

Belo texto, cheio de muitas reflexões. Construção magnifica.
Um abraço.

A wild Garden disse...

O poeta pensa que é tolo
o político sábio se julga
um vale ouro
outro não vale uma pulga!

kkk

desculpe a brincadeira, mas adoro poetagem!

isa disse...

Meu querido Poeta,um magnífico "mea
culpa",como só pessoas sensíveis e os Poetas sabem fazer.
Beijo.
isa.

Maria Helena Mueller - Lelê disse...

Estava com saudades de suas poesias!
Abraços com carinho.

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Querido Oswaldo, também estava com saudades! Quanta sabedoria em seus versos. Quando sinto sua ausência, fico a esperar pelo desabrochar de mais uma rosa.
Obrigada pelas visitas ao meu Blog.
Um grande abraço!
Neneca















chegada de mais uma pérola.

Paty Padilha, disse...

Bela leitura. Passando por aqui pra matar a saudade. Beijos meus.

Milene Sarquissiano disse...

O poeta pode ser TOLO mas não é bobo. Usa as palavras como penitência para uma confissão apaixonante e leva o leitor à redenção.
Encanta-me ser encantada pela magia dos teus nada tolos versos.

beijosssss

milene

AMOR E POESIA disse...

QUANTAS SAUDADES MEU AMIGO POETA BEGIATTO...COMO SEMPRE ESCREVENDO DE UMA FORMA TÃO LINDA!E COM UMA SENSIBILIDADE POÉTICA MARAVILHOSA!PARABÉNS PELO SEU BLOG,SIMPLES COMO VOCÊ MAS COM UM CONTEÚDO VALIOSÍSSIMO!DEUS TE DEU ESTA SABEDORIA PORQUE VOCÊ É MERECEDOR!!!!ESTAREI SEMPRE POR AQUI ME DELICIANDO COM SEU VERSAR!!!UM GRANDE ABRAÇO DE SUA AMIGA QUE LHE TEM MUITO CARINHO!