segunda-feira, 8 de novembro de 2010

POEMA RICO


POEMA RICO
Oswaldo Antônio Begiato

Gostaria que abundantes me fossem
as palavras.
Mas elas me fogem
se fazem magras,
raquíticas,
e parcas.
(Me deixam mudo
diante desta mulher.)

Gostaria que intensos me fossem
os diamantes.
Mas tenho apenas uns cristais
que se quebram quando meu olhar
os toca sem sentido.
(Me deixam pobre
diante desta mulher.)

Mas tenho dentro de mim um coração,
que mesmo mudo,
bate enlouquecido
e como uma ostra vaidosa,
cria com o seu bater doído
a pérola mais linda
que já se viu.
(Me deixa como jóia rara
diante desta mulher.)

Me deixa como poeta
diante desta mulher.

5 comentários:

Isa disse...

E a mim deixou-me sem palavras,meu
Poeta,meu Amigo,tanta beleza!
O final é belíssimo:ficar como Poeta perante a Mulher amada,querida,tão
desejada!
Quanta sensibilidade nessa Alma de
Poeta!
Beijo.
isa.

Mila disse...

Olá!
Seu poema é muito rico mesmo, belo porque nele existe o amor...
Bjs
Mila

Serena Flor disse...

Meu amigo poeta...quanta saudade de ti!
Tanto tempo sem passar por este lindo e aconchegante cantinho não é mesmo?
Mas cá estou para matar um tantinho da saudade que anda à me castigar...rs.
Lindos como sempre os teus versos meu querido...parabéns!
Um grande beijo e fica sempre com Deus meu amigo.
Paz e muita luz em teu caminho!

Sél disse...

Que saudade de vir aq
Vim, e já achei o que levar ^^
Vou "roubar" essa jóia hahaha

Coincidentemente ontem li um artigo sobre a "fabricação" de pérolas pelas ostras. Mas é num lugar ai muuuuuito longe rsrsrs

Aqui você fabrica palavras preciosas e está mais pertinho ^^
Beijos querido, fique bem e mt luz prá ti.

Milene Sarquissiano disse...

Embora belas,pérolas nascem da dor.
Para proteger a ostra de grãos de areia, o nácar,substância lustrosa do interior da concha, trabalha até cobrir o corpo estranho, originando assim as pérolas.
Parece que os poetas, quanto mais doídos, mais produzem versos raros,

Lindo demais,e estava escondido, feito ostra,,,bjos