sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

RETORNO


RETORNO
Oswaldo Antônio Begiato

Quando saí de minha terra
levei comigo meus pensamentos
minhas roupas de menino
e um desejo imenso de piscina.

Eu tinha então onze anos,
duas abotoaduras,
um livro de reza,
uma agulha, linha e botões,
um buquê de flores irreversíveis
e um botão de rosa imaginário.

Eram-me longos os meus dois braços;
na bagagem guardei várias tentações,
duas camisas fechadas feitas de saco de trigo
e um coração pequeno
onde dores iriam despertar,
mais cedo ou mais tarde.

Quando voltei
trazia comigo algumas mágoas de amor,
na alma um vazio novo,
todos os pecados do mundo
e um abraço completamente ausente.

Já era homem
impregnado por um buquê de vícios incorrigíveis;

não tinha mais pensamentos
mas ainda tinha um desejo imenso de piscina.

5 comentários:

Isa disse...

Poeta,e esse Homem que "retornou"
deixou florir o bouquet de flores e a
rosa tornou-se real nos versos que escreve!
Beijo.
isa.

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Mesmo com os sonhos de menino, mas o retorno deixou em sua alma uma luz que brilha em seus versos.
Parabéns amigo!
Beijos! Neneca.

"Cantinho Poético" disse...

Ke lindo meu poeta amadooooooo
Saudades de ti.....Volta pro orkut.
Vc sempre deixa em sua alma uma luz que brilha...Parabéns!

Beijos e carinhos meus....M@ria

Arnalda Rabelo disse...

Bom dia Oswaldo!

[...]Já era homem
impregnado por um buquê de vícios incorrigíveis;

não tinha mais pensamentos
mas ainda tinha um desejo imenso de piscina.

Lindo poema Oswaldo!

Lindo quando descobrimos que apesar
das marcas, das dores inevitáveis, e muitas vezes não compreendidas...
Temos uma criança,"um menino vivo"
com imenso desejo de piscina!

Um domingo cheio de alegrias pra vc querido!
Alegrias simples e puras..

Grande Abraço!

Sua amiga que muito te admira

Arnalda Rabelo.

Vania Gondim disse...

Poeta, os desejos da infância parecem nos acompanhar sempre. Belo "Retorno"! Bela composição de imagens. Parabéns!!