terça-feira, 29 de setembro de 2009

TANTO É


TANTO É
Oswaldo Antônio Begiato

Tanto é
Que estou aqui de mãos postas,
Pernas em genuflexão e olhos alagados
Fingindo rezar uma prece de luz em plena obcecação.

Tanto é
Que não sei o fuso horário;
O dia, o mês e o ano em que estou pulsando.
Fiquei atemporal, sem medidas e incorpóreo. Intangível.

Tanto é
Que não tenho residência fixa.
Não tenho cadastros. Não tenho verdades.
Carrego somente as sombras que me conspurcaram.

Tanto é
Que já ultrapassei minha permanência,
Diluindo-me em partidas intolerantes à volta.
Não penso e não existo mais. Sou espectro. Fio de vida.

4 comentários:

Milene Sarquissiano disse...

Extraordinária! Magnífica!

Quando penso que já li o teu melhor, tu vens e me inundas de emoção.

Não há nada que pague o prazer de te devorar

Muito obrigada,muito obrigada mesmo

Beijo sempre...

Maria L. Bózoli disse...

Não penso e não existo mais. Sou espectro. Fio de vida.

Lindíssimo poeta.....Parabéns!

Beijos na alma......M@ria

Serena Flor disse...

Lindo como sempre meu amigo.
Adorei quando disse:

"Tanto é
Que não tenho residência fixa.
Não tenho cadastros. Não tenho verdades.
Carrego somente as sombras que me conspurcaram." ...lindo demais!
Beijos e um dia lindo pra você(com um frrrrio daqueles por aqui...rsrs)

Rita Encinas disse...

Grande poeta! Belíssimo texto! Muita luz em sua vida sempre! Grande beijo