quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ESCONDEDOURO


3 comentários:

Márcia disse...

Depois dessa sou obrigada a mudar a letra da musica do Zeca Baleiro e cantar: Ele achou o meu cabelo engraçado,proibido pra mim no way. Mas, eu vou fazer de tudo que eu puder
Eu vou roubar esse moço pra mim

Se não você?
Quem vai me fazer feliz?
Quem???

Ti lóvio poeta querido

Anônimo disse...

Sabe, essa poesia sua me fez lembrar alguém que entrou na minha vida e deixou uma cicatriz. Cicatriz de cor carmim, aquela que dizem ser a cor do amor, marcada a ferro e fogo sem nada que a apague. É assim, uma marca que nunca vai sair, uma marca que me magoou vezes que não se contam nos dedos, pois sempre as esqueci. E então vivo em desassossego, que tanto me faz viver como sofrer. Um dia partia eu, outro dia partia ele.Depois procurávamo-nos, porque gosto dele e ele de mim, desde que nos encontramos. É um amor que só eu entendo, que a ninguém sei explicar, por eu ser de feitio difícil. Há coisas assim, que não se explicam, sentem-se e ouvem-se na noite, lêem-se nos olhos e nas palavras que mais ninguém conhece como ele para mim.

ana wagner disse...

Uma bela poesia que parece ser uma dedicatória.Mas, querido poeta, você é brilhante em tudo que escreve!
Parabéns! Um beijo.
AW