sexta-feira, 6 de novembro de 2009

RODA GIGANTE

Esta foto a poesia ganhou da poeta Ana Paula Perissé.

RODA GIGANTE
Oswaldo Antônio Begiato

Busquei-te na eternidade
Que o tempo esconde
Nas entrelinhas do instante,
E só fui te encontrar,
Segundos adiante,
No meio de uma festa alheia,
Dançando sozinha, alheia,
Com tua cadeira de rodas
Como se a existência fosse
Uma roda gigante iluminada
Girando em falso.
E tu, a Senhora do Espaço,
Inconsumível,
Ilimitada.

5 comentários:

Sereia disse...

Boa noiteeeeeeee!!!
Linda postagem,muiiiito mistério a desvendar,rssrsrsr
Um beijo grande

Milene Sarquissiano disse...

És gigante e ilimitado.

Essa "miudez" exagerada é que te faz imenso, incomensurável!

Não agradeça. Você o é!

Beijos begiáticos

Filipe Macedo disse...

simples, lúdico e natural
parabéns meu amigo,
és um dos Maiores!


Bons ventos

Helena Castelli disse...

Obrigada pela sensibilidade que se faz nítida e consegue espaço em nossos corações! Obrigada, por voce existir... meu querido Poeta!

Beijos meus, com carinho.

hellenzitah disse...

lindo!
Graças a Deus ainda existem poetas.
não existe melhor forma de ver e contar o mundo senão pelas palavras de vocês.