domingo, 7 de junho de 2009

SOBRETUDO


SOBRETUDO
Oswaldo Antônio Begiato

Quero te amar
Nas palavras que tu vais,
Pacientemente, me revelando,
Mas, sobretudo, na surdez
Com que interrompes minha fala.

Quero te amar
Na presença com a qual
Vais me consumindo,
Mas, sobretudo, na ausência
Que me dilacera.

Quero te amar
No amor que tu me devotas,
Com solicitude,
Mas, sobretudo, na indiferença
Que me vilipendia.

Quero te amar
Nas verdades que,
Maliciosamente, me escondes,
Mas, sobretudo, nas mentiras
Que me deixam nu.

Quero te amar
Nas cheganças inesperadas
Que me aquecem,
Mas, sobretudo, nas esperas
Que me torturam.

Quero te amar
Sempre que quiseres
Que eu te ame,
Mas, sobretudo,
Quando não quiseres.

Quero te amar
Sempre que eu puder
Te amar,
Mas, sobretudo,
Quando eu não puder.

3 comentários:

Rose Felliciano disse...

Querido Poeta Oswaldo...

Estou passando para dizer que indiquei o seu blog ao selo "olha que blog Maneiro!".

Abraços!!!

Veja a indicação em meu blog:

http://simplesmente-unica.blogspot.com

Teu Olhar... disse...

querido poeta...

vim buscar tuas palavras, tão lindas, para ler

maravilhoso poema...

meu carinho, sempre
Ana...

Sao disse...

Amar assim...........
sem egoísmos... egocentrismos...
nada de ismos, deve ser difícil.

Porém, ser amado assim, deve ser egoisticamente maravilhoso!

*Mari*