terça-feira, 16 de junho de 2009

MEU NOME


MEU NOME
Oswaldo Antônio Begiato

A vogal “o” do meu nome me faz masculino.
Gosto de ser homem feito.

Ele começa com ela e com ela termina;
a tem bem em seu centro acentuada circunflexamente:
- É a cumeeira do telhado
porque o meu nome é minha morada.

Suas vogais masculinas são as janelas
por onde enxergo as paisagens externas:
- Elas moldam a alma que ainda não é minha,
iluminam as minhas avenidas internas
e fertilizam meus canteiros inacabados.

Meu nome me protege. Meu nome me expõe.
Meu nome me esconde. Meu nome me delata.

Dentro do meu nome guardo todas as sílabas
que penso me pertencerem, mas que não me pertencem.
Guardo um passado que herdei cheio de honras,
um futuro que tento legar inutilmente
e entre eles um presente cuja utilidade não sei ao certo.

Dentro de meu nome guardo todas as poesias:
- As que já escrevi e que não são poesias e as que jamais escreverei.

Meu nome é minha Caixa de Pandora.

3 comentários:

REGGINA MOON disse...

Que maravilha Oswaldo!!
Belíssima postagem.Parabéns!

Beijos,

Reggina Moon

Mariana disse...

Linda a poesia, como sempre. Nunca pensei em meu nome desta forma; sempre o achei algo que não dissesse muito sobre mim. Vou analisá-lo melhor!

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Parabéns Oswaldo pelo poema!
Bem construído mesmo.Cada dia lhe admiro mais e mais...
Beijos de sua fã!