quinta-feira, 3 de julho de 2008

ÂNGELUS


ÂNGELUS
Oswaldo Antônio Begiato

Quando, pela vez primeira,
extasiado, te vi
entregue ao palmilhar
de um caminho torto
inventado pra ti,
de mãos dadas
contigo mesma,
sorriso casto
à procura de desvios,
tive a impressão que tua alma,
fugitiva de sua profissão,
brincava de profanidades
à tua volta enluarada,
feito uma filha obediente.

Não saía de perto de ti
por nada
e por nada não se recolhia
nem mesmo na hora
em que os sinos se dobravam
para anunciar o ângelus.

Quando te vi novamente,
obsequiosamente chegadora
com o diadema já delineado
e espargido,
o sorriso voluptuoso
e úmido;
e caído a teus pés
o pôr-do-sol,
apaixonado,
tive certeza absoluta:
- Tua alma te era a mais devota e obediente filha!

3 comentários:

Regiane Campos disse...

Oi amado Poeta,
Lindíssimo esse poema Angelus (“Ave Maria”),parabéns é surpreendente todo este trabalho..lindo..lindo!!
Sem palavras de tanto que gostei, comovente até...
Que Deus o abênçoe cada vez mais e lhe dê muita saúde para continuar assim iluminado...
Um beijo ,
Amo você....
Sua amiga de sempre!
Regiane

ana wagner disse...

Poeta, memória é o presente de um passado! É uma verdade, todos nós temos uma história.
Acho bonitas tuas recordações.
Significam que marcaram mais pela beleza que pelas tristezas,
quando o sentimento de momentos belos permanece,
tem que ser recordados com carinho, mas quando não, nem as fotos devem ser revistas,
não devemos queimá-las, mas devemos guardar,
bem guardadas de forma que até esquecemos onde colocamos!.
O bom é ter belas lembranças, teu coração é cheio de belezas indecifráveis.
Te admiro demais!
Um beijo
Ana W

Carmem disse...

Nossa Oswaldo,você tem a fórmula perfeita,tuas poesias são lindas com ótimo conteudo, me apaixono ao ler,Viajo quando estou lendo poesias ... Parabéns,esse poema é divino...Te admiro muito krido amigo e grande Poeta....... bjinhos da amiga Carmem