sexta-feira, 19 de abril de 2013

DESPERTAR

DESPERTAR
Oswaldo Antônio Begiato
 
Saudades de seu beijo matinal,
do doce perfume de alecrim
me despertando as auroras,
me enchendo de carícias
a alma abandonada.
 
Saudades de seu beijo matinal
com jeito de afastamento
de cortinas
deixando me penetrar
um sol avivador,
me aquecendo todos os cantos
internos.
 
Saudades de seu beijo matinal
que não experimento
desde ontem;
desde que perdi o seu caminho.
 

Um comentário:

isa disse...

Poema de uma grande pureza,leve e triste.
Beijo.
isa.