terça-feira, 10 de abril de 2012

BEIJOS


BEIJOS
Oswaldo Antônio Begiato

Você vem cantando uma canção.
eu julgo ser uma antiga canção de amor
(você a canta sempre quando me entristeço).

Fala coisas e fala coisas e fala coisas...
mas eu não compreendo sua pronúncia.
É que você vem com a língua úmida
desesperadamente ávida por beijos.

Aí a beijo com minha boca sóbria
consumindo toda sua sofreguidão.
Devagar vou decifrando sua voz,
suas palavras brandas,
sua canção dando prazer aos sentidos...

Fala que me ama e que me ama e que me ama...

E eu a venero ainda mais por isso
e vou ficando com a língua úmida
e ávida...
...desesperadamente ávida
por beijos.

Desesperadamente ávida por seus beijos sagrados.

4 comentários:

isa disse...

Solte seu beijo,meu querido Poeta,meu Amigo!
Ñ é preciso entender as palavras.
Os sentidos entendem-nas!!!
Beijo.
isa.

PS:- Beijo a essa menininha linda!
Que doçura!

Maria Catherine Rabello disse...

Oi!
Querido amigo, saudades!
Lindo poema.

Feliz vida! Beijos!

Marluce Aires disse...

Parabéns , pelo lindo poema, para uma linda e mais nova criatura, que é o melhor presente que recebestes. Um beijinho em cada lado desse rostinho;

Milene Sarquissiano disse...

É tanta língua que vou ficando sem fala. Apenas sinto a carícia das palavras lambendo os versos(ou seriam,perversos?)e beijando as linhas, culminando num gozo,cahamdo poesia.

Maravilha essa!! beijos