quarta-feira, 14 de setembro de 2011

FLOR BALDIA


FLOR BALDIA
Oswaldo Antônio Begiato

Não sou flor
que se cheire
Nem flor
que se coma.

Não sou flor
que se dá
Nem flor
que se compre.

Não sou flor,
Sou erva daninha.

Tenham cuidado comigo!

2 comentários:

isa disse...

Meu querido Amigo,meu Poeta,em noite de insónia vim ao blog e deparo com um poema seu.Com mt que se lhe diga,
como diz na minha terra.
Ñ pode ser lido por alto,ñ!
Às vezes,na Vida,precisamos ser essa "erva daninha"para ñ sermos pisados.
Às vezes!
Beijo.
isa.

Fiz uma pausa no Momentos,para fazer exames,tratamentos etc.
Ñ estranhe! Os AMIGOS estão no meu coração!

Marluce Aires disse...

Meditando nas suas belas poesias, aproveito para lhe desejar um Natal cheio de alegria junto a essa família linda que tens. Que o Deus Menino, te encha a cada dia de ricas mensagens, como sempre tem feito. Que as bênçãos do Criador do universo, sejam derramadas sobre ti. Abraços fraternos de sua admiradora...